FashionSkribo apresenta… “X-Men: Apocalypse”

X-Men Apocalypse_movie posterDesde o início da civilização, ele era adorado como um deus. Apocalipse, o primeiro e mais poderoso mutante do universo X-Men da Marvel, acumulou os poderes de muitos outros mutantes, tornando-se imortal e invencível. Ao acordar depois de milhares de anos, fica desiludido com o mundo em que se encontra e recruta um grupo de mutantes poderosos, incluindo um Magneto desanimado, para purificar a humanidade e criar uma nova ordem mundial, sobre a qual ele reinará. Com o destino da Terra em causa, Raven com a ajuda do Professor X irá liderar uma equipa de jovens X-Men para combater o seu maior inimigo e salvar a humanidade da destruição total.” (x)

Realizado por Bryan Singer e produzido por Lauren Shuler Donner, Simon Kinberg, Bryan Singer e Hutch Parker, “X-Men: Apocalypse” conta com a participação de James McAvoy, Michael Fassbender, Jennifer Lawrence, Oscar Isaac, Nicholas Hoult, Rose Byrne, Tye Sheridan, Sophie Turner, Olivia Munn, Lucas Till, Evan Peters, Kodi Smit-McPhee, Alexandra Shipp, Josh Helman, Ben Hardy, Lana Condor, Tómas Lemarquis e Stan Lee, entre outros. Este filme é baseado em diversas personagens da Marvel Comics criadas por Jack Kirby, Dave Cokrum, Chris Claremont, Stan Lee, Louise Simonson, Jackson Guice, Herb Trimpe, Arnold Drake, Don Heck, Len Wein, Brent Anderson e Marc Silvestri. E a sua adaptação cinematográfica foi escrita por Simon Kinberg.

Since the dawn of civilisation, he was worshipped as a god. Apocalypse, the first and most powerful mutant from Marvel’s X-Men universe, amassed the powers of many other mutants, becoming immortal and invincible. Upon awakening after thousands of years, he is disillusioned with the world as he finds it and recruits a team of powerful mutants, including a disheartened Magneto, to cleanse mankind and create a new world order, over which he will reign. As the fate of the Earth hangs in the balance, Raven with the help of Professor X must lead a team of young X-Men to stop their greatest nemesis and save mankind from complete destruction.” (x)

Directed by Bryan Singers and produced by Lauren Shuler Donner, Simon Kinberg, Bryan Singer, and Hutch Parker, “X-Men: Apocalypse” stars James McAvoy, Michael Fassbender, Jennifer Lawrence, Oscar Isaac, Nicholas Hoult, Rose Byrne, Tye Sheridan, Sophie Turner, Olivia Munn, Lucas Till, Evan Peters, Kodi Smit-McPhee, Alexandra Shipp, Josh Helman, Ben Hardy, Lana Condor, Tómas Lemarquis, and Stan Lee, amongst others. This film is based on several characters from Marvel Comics that were created by Jack Kirby, Dave Cokrum, Chris Claremont, Stan Lee, Louise Simonson, Jackson Guice, Herb Trimpe, Arnold Drake, Don Heck, Len Wein, Brent Anderson, and Marc Silvestri. Its adapted screenplay was written by Simon Kinberg.

Até ao momento, este filme tem uma classificação de 47% (com base em 195 críticas) no website rottentomatoes, o qual apresenta o seguinte comentário: “uma sobressaturação em acção e um vilão cliché retiram a atenção de fortes prestações e de temas ressonantes, fazendo de ‘X-Men: Apocalypse” um capítulo medíocre desta franchise de super-heróis tão venerada”. Mick LaSalle (San Francisco Chronicle) refere-se a este filme como mais um capítulo da corrente temporada de super-heróis versus super-heróis, mas como tendo sido até agora o melhor filme a conseguir transmitir melhor esta batalha. Por sua vez, Mike Ryan (Uproxx) acredita que os filmes acerca dos X-Men estão-se a tornar cada vez mais repetitivos, tendo-se chegado mesmo ao ponto de, segundo a sua opinião, ter-se desperdiçado bons actores, como Oscar Isaac, neste filme. Porém, este crítico não deixa de prezar a prestação de Evan Peters.

So far this film has a score of 47% (based on 195 reviews) on the rottentomatoes website, which presents the following comment: “overloaded action and a cliched villain take the focus away from otherwise strong performers and resonant themes, making ‘X-Men: Apocalypse’ a middling chapter of the venerable superhero franchise”. Mick Lasalle (Sant Francisco Chronicle) mentions that this film is yet another chapter in the current season of superheroes vs. superheroes, but it has been the only one so far that was able to better portray this battle. On its turn, Mike Ryan (Uproxx) believes that these X-Men films are becoming ever more repetitive, having gotten to the point where, in his opinion, great actors, such as Oscar Isaac, are being wasted in this film. However, this critic does praise Evan Peters’ performance.

X-Men Apocalypse_movie picture
X-Men: Apocalypse” estreia hoje (27 Maio) nos Estados Unidos da América. A sua estreia em Portugal deu-se no passado dia 19 de Maio. O conteúdo apresentado neste post foi retirado dos seguintes sites: movieweb.com, en.wikipedia.org, rottentomatoes.com e mag.sapo.pt/cinema.

X-Men: Apocalypse” premieres today (May 27th) in the United States. However, it has already pretty much premiered in all corners of the world – AMEN to another late American premiere. The information provided in this post was taken from the following websites: movieweb.com, en.wikipedia.org, rottentomatoes.com and imdb.com.

Quem é que tem curiosidade em ver este filme? | Anyone interested in watching this film?

Palmer Harding @ London Fashion Week Spring 2016

E poucos dias depois… Hoje apresento-vos a nova colecção de Primavera/Verão da Palmer Harding. Esta é uma marca de design para homens e mulheres, fundada por Levi Palmer e Matthew Harding, a qual foi lançada pela primeira vez em 2011. Estes dois estilistas começaram o seu trabalho nesta marca ao renovarem o conceito de ‘camisa’, tendo conseguido ter várias das suas peças de roupa presentes em números das Vogue’s Americana e Britânica.

And a couple of days later… Today I am presenting you guys the new Palmer Harding’s Spring/Summer collection. This is a men’s and women’s designer label founded by Levi Palmer and Matthew Harding, and which was launched for the first time in 2011. These fashion designers started their work at this label by renewing the concept of ‘shirt’, having so far had their pieces of clothing shown-cased in spreads of the American and British Vogue.

Palmer Harding Spring 2016 (1) Palmer Harding Spring 2016 (2)Being this a very very small collection, these are almost all the outfits that were presented during the catwalk. Similarly to the previous collections, this brand shows an immense use of nude colours, with the exception of a few brighter colours (such as blue and red). This collection focus on the following trends: asymmetry (outfits 1, 4, 7, 9 and 12), transparency (outfits 2, 4, 5, 6, 10, 11 and 12), leather (outfits 3 and 10), patterns (outfits 2, 5, 6 and 11), and pleated skirts (outfits 8 and 9).

Esta é uma colecção bastante pequena, pelo que estes são quase todos os conjuntos que foram apresentados durante o desfile. À semelhança da colecção anterior, esta marca também aposto essencialmente em tons nude, com a excepção de alguns resquícios de cores mais vivas (como azuis e vermelhos). Esta colecção concentra-se nas seguintes tendências: assimetria (conjuntos 1, 4, 7, 9 e 12), transparência (conjuntos 2, 4, 5, 6, 10, 11 e 12), cabedal/pele (conjuntos 3 e 10), padrões (conjuntos 3, 5, 6 e 11) e saias plissadas (conjuntos 8 e 9).

O que acham desta colecção? Quais são os vossos conjuntos favoritos? | What do you think of this collection? Which outfits are your favourites?

Desabafo #29

205E eis que chega a última semana de aulas. Ou será que deverei dizer última meia-semana? Abençoado seja o feriado desta semana e do facto de não ter aulas à sexta-fera. Mas as minhas aulas não podiam acabar de uma maneira mais stressante. Não há nada como acabar um semestre com talvez o seu exame prático mais difícil. Só espero é que o exame seja mais acessível do que ele parece à primeira vista. Mas vendo toda esta história pelo seu lado positivo, pelo menos só terei de me preocupar com os exames teóricos durante a época de exames, partindo o princípio que não precisarei de melhorar os meus exames práticos.

De qualquer modo, tirando o meu ano de Mestrado, este foi o meu melhor ano passado na universidade. Há imenso tempo que não tinha um ano livre de dramas. E não podia estar mais satisfeita por ter estado este ano em Ciências. Este Minor em Geologia foi talvez uma decisão muito bem tomada, se calhar das melhores que tomei nos últimos anos. É esperar agora que o que se segue também se transforme numa boa decisão.

A lição que tiro disto tudo é que nós somos muito mais esponja do que alguma vez se possa ter pensado. É bom que nos seja dada a oportunidade de escolhermos uma área – mais ou menos abrangente – quando entramos para o secundário, mas ao fim de cinco anos já não penso que é assim uma coisa tão positiva. O sistema anglófono, em que temos a liberdade total de escolher as disciplinas que queremos fazer – ainda que consoante o que é disponível na escola em que estamos, mas milagres também não existem, e é pouco provável que todos as escolas tenham os mesmos recursos – era o que me tinha dado mesmo jeito. E já agora um curso bem formulado também não tinha feito mal a ninguém. Mas queixas à parte… estou feliz por ter tido a oportunidade de ter estado em duas áreas tão diferentes no Ensino Superior.

If I could travel… #5

Whenever and wherever I wanted to, right now I would be here: 16th arrondissement, Paris

roland garrosFor many years, this has been my exact thought every month of May. Football has always been a favourite of mine, but there’s no sport that has a more special place in my heart than tennis. I’ve never practiced it – or better said, never practiced it enough to may actually call it practice – but I’ve always loved this sport. However, it has been disappointing me so much this year. It certainly isn’t the sport I feel in love with at first, but still… it will always hold a special place in my heart, no matter what.

This year’s tournament starts tomorrow and I couldn’t be more excited about it because this is by far my favourite tennis tournament. There’s nothing better than actually seeing these matches live but I guess a TV will do for now. I’m not sure if I’ll have much time to actually follow the whole tournament, but a dozen of matches sounds like a good amount of matches to watch. *prayer circle* that this will be Rafael Nadal’s 10th championship title.

Michael Kors @ New York Fashion Week Spring 2016

Hoje regresso para vos apresentar a nova colecção de Primavera/Verão da Michael Kors. Esta é uma casa de moda americana com linhas de roupa tanto para homens como para mulheres. Ela foi criada na década de 1980 por Karl Anderson Jr. (também conhecido como Michael Kors). As suas roupa (nomeadamente vestidos de gala) têm sido usados por várias celebridades, como a Rachel McAdams, a Jennifer Garner e a Catherine Zeta-Jones.

Today I am back to present you guys the new Michael Kors’ Spring/Summer collections. This is an American fashion house with clothing lines for both men and women. It was created around the 1980’s by Karl Anderson, Jr. (aka, Michael Kors). His clothes (namely gowns) have been worn by several celebrities, such as Rachel McAdams, Jennifer Garner, and Catherine Zeta-Jones.

Michael Kors Spring 2016 (1) Michael Kors Spring 2016 (2)Even though it has a pretty important proportion of bright colours, such as red, and neutral colours, such as black, the main focus of this collection is the use of nude colours (outfits 8, 9, 11 and 12), which have been a major highlight during the past Spring/Summer seasons. This collection presents the following trends: transparency (outfits 3 and 6), laced details (outfit 8), patterns (outfits 1, 2, 6 and 8), midi dresses and skirts (outfits 2, 5, 6, 7, 8 and 11), asymmetry (outfits 3, 6 and 11) and frills (outfits 5 and 11).

Apesar de ainda apostar em cores mais vivas, como o vermelho, e cores neutras, como o preto, o foco principal desta colecção é o uso de cores nudes (conjuntos 8, 9, 11 e 12), cores nas quais se aposta cada vez mais para estas estações. Esta colecção conta com as seguintes tendências: transparência (conjuntos 3 e 6), rendilhado (conjunto 8), padrões (conjuntos 1, 2, 6 e 7), vestidos e saias “midi (conjuntos 2, 5, 6, 7, 8 e 11), assimetria (conjuntos 3, 6 e 11) e folhos (conjuntos 5 e 11).

O que acham desta colecção? Quais são os vossos conjuntos favoritos? | What do you think of this collection? Which outfits are your favourites?

Unpopular opinion #1

97É incrível como chegam a ganhar até 2000€ – se não mesmo mais porque who really knows how this freaking banana state works – por mês para carregar em botões e pedais para meter meia dúzia de carruagens a funcionar – e ainda por cima lentamente, jesus -, e mesmo assim fazem mais greves que o pessoal em trabalho precário alguma vez pensou fazer. E isto já para não dizer que, de certo, recebem mais do que uma parte gigantesca da classe média baixa. Ainda me pergunto para que raio é que estou na universidade se posso receber 2000€ mensais, não fazer um cu e dar-me ao luxo de fazer as greves que quiser sem perder o meu emprego. E depois os desgraçados que precisam de se deslocar no dia-a-dia que se f**am.

*god, how I miss the industrial revolution kind of strikes*

Food for Thought | Women’s International Day

257Acho fantástico que se tenha um Dia Internacional da Mulher. Já os outros eventos do género são para mim mais questionáveis – não tenho alergias ao capitalismo, mas há que admitir que estes eventos são mesmo só para nos fazerem abrir a mão do nosso dinheiro. Mas o Dia Internacional da Mulher permite que se discuta a falta de direitos a que o nosso género ainda assiste, e isso deverá ser mais do que valorizado. É uma excelente oportunidade para podermos ser ouvidas. Contudo, não deixo de sentir que são as únicas 24h de 365 dias em que as nossas vozes são melhor ouvidas – e aqui há que realçar que são mais as vozes ocidentais do que as restantes. E mesmo nesta altura se calhar ainda somos mal e porcamente ouvidas.

E isto tudo para falar um pouco do modo como é dada a História nas escolas (e universidades também). O que nós ouvimos é a História feita pelos homens e muito pouco, se não mesmo raramente, se ouve falar do papel da mulher na mesma. Quantas vezes é que ouvimos falar de uma mulher que tenha tido destaque num qualquer evento da nossa História? Acho que estas vezes podem ser contadas pelas nossas mãos, e se calhar só uma chegava. Não é que não me tenha apercebido disto há mais tempo, mas dado a alguns doodles que vimos nos últimos meses, lembrei-me de trazer este assunto para o blog. Um destes doodles referia-se a Sophie Taeuber-Arp, um elemento importante do Movimento Dada (arte abstracta), e uma pioneira do Neoplasticismo e Construtivismo. E outro doodle que também me chamou a atenção foi o realizado em homenagem a Beatrice Tinsley, uma astrónoma e cosmóloga neozelandesa. E até aqui a coisa até parece bem. É bom ver que o trabalho de mulheres é reconhecido, ainda que várias décadas ou séculos depois. O problema é as coisas que se lêem sobre as mesmas. O modo como este artigo começa deixa-me muito desapontada. Em vez de apenas introduzirem a senhora como tendo sido essencial para o conhecimento das galáxias, do modo como elas crescem/evoluem, e para o debate acerca do nosso universo ser aberto ou fechado, entre outros aspectos, os jornalistas optaram por acrescentar esta pérola: “em 1974, divorciou-se e afastou-se dos filhos adotados para se dedicar à carreira”. Faz parte da sua história como pessoa? Faz. Era necessário? Nem por isso. E este assunto vai completamente ao encontro do que a Nádia escreveu no seu post aqui. É assim tão inconcebível, aos olhos de hoje, uma mulher ter uma carreira? E dar a isso maior importância? A função da mulher é mesmo só procriar? O valor de uma mulher é mesmo medido pelos filhos que tem ou não tem? Quando é que vamos ter direito a fazer as nossas próprias escolhas sem sermos martirizadas por isso?

Sophie Taeuber-Arp, Composition in Dense, Polychrome, Quadrangular Spots, 1921

Sophie Taeuber-Arp, Composition in Dense, Polychrome, Quadrangular Spots, 1921

O interessante é que neste dia somos elevadas a um género importantíssimo para a nossa espécie, quando nos restantes 364 dias do ano muitas de nós continuam a ser tratadas abaixo de cão e/ou como meros e simples objectos. Se calhar em vez de um Dia Internacional da Mulher, precisávamos era mas é de 365 Dias Internacionais da Mulher, a ver se assim a sociedade abria a pestana de uma vez por todas.