The truth behind it all

This must be the post that took me the longest to write, and also probably the post that I censored more. I wrote and re-wrote this post several times. The subject of this post is kinda sensitive but not in a way that’s overly dramatic or hard to talk about, but sensitive in a way that some things, that I really wanna say, could come out wrong. One of the downsides of having a public blog is that anyone can read whatever we publish, which is why it took me a long time to finally finish this post. The thing is that sometimes there’s stuff that’s better hidden inside our minds. I’m not sure who may read my blog, especially from my former university, so I kinda omitted some of my opinions here (but you can imagine what it can be from this post I publish a few days ago – it’s in Portuguese though). I’ve been wanting to write about this for a very long time, basically since the start of my third year at university, but this time I promised myself that I would only talk about this when I was 100% sure that my plans would go forward. Honestly, now I wonder why I did this because people eventually found out, when I tried to tell this to as little people as possible. My class at university remembers my high school, where everyone knew everything about each other. It’s like people can’t keep their mouths shut. I can also compare this to those groups of old ladies that talk bad about their neighbours behind their backs. So… my news are…

the netherlands
I’m in the Netherlands. And I’ll be here for the next two years (if everything goes as planned). Therefore I’m writing to you guys from my new home. YEAH!. I’ve talked about doing a Master in a few posts, how excited I am about it and how I’ve been needing this new stage in my life, so here it is. This is the moment and this is my chance to start from scratch. I’m going to do my Master degree in the Netherlands, and it is in English (in case you’re wondering) – thank god it’s not in Dutch because that would have been really tricky. I hope I won’t find it to hard to learn but, right now, Dutch seems to be 20x harder than French. But yeah, maybe in a few years I can add Dutch to my CV.

For those of you who don’t know, Master degrees in Portugal last for two years, whereas in countries such as the United Kingdom or the Netherlands they last for just one year. However, mine will last for two years instead. This is because I’ll will be doing a Research Master degree. The thing here is that I’m not sure if I’ll be doing (but I really hope so) because the department doesn’t accept foreign students directly into their research degrees. However, the coordinator of the master liked my application, so I’ll be doing it as a temporary student. Well me and at least another girl – not sure how many of us are. Our conditions to be admitted as permanent students are to obtain at least a 7.5 (out of 10) in one of the modules and pass on an interview. This is a tricky way of doing it but I think it will be worth it. If everything goes as planned, we will be temporary only during the 1st semester.

Even though our classes only start on 1st September, we all came early to the Netherlands. We have a mandatory Orientation Week to attend to and I’m quite excited for it to start. Luckily I won’t have to wait much longer because it start tomorrow. We can say that this week’s something like the fresher’s week in the UK or “praxes” (as we have in Portugal). Compared to the last one, the main difference is that people actually try to integrate us in the academic community. I know that we’ll be doing all sorts of activities together, we’ll have time to understand how the university and our courses work and we’ll have the opportunity of meet a whole bunch of new people.

Apart from the fact that this degree is just perfect, there’s one particular detail that I absolutely love about it: it’s miles and miles away from home. Honestly, I was needing a break from Portugal; for years. I’ve just had enough. Of course it sucks that I’m leaving my family and friends behind, but immigrating has always been one of my goals, even if for now it’s just to study. I know there’s people that get offended by these opinions, but this has been one of my goals since I was about 11 years old. I’m sorry if anyone will be offended but I’ve lost whatever connection I had with the country. Right now, I just see myself as an European citizen. And I think it is a completely normal thing since we live in a global world. It’s 2014 and people seem to not understand that we all have different points of view. As we usually watch in our national TV channels, people seem to see immigration has a last resource and as an idea they don’t like that much, but I don’t have any problem with that. I won’t say that I have no job opportunities left in Portugal, because we actually have a few (horrible ones thought), but I didn’t spend three years studying to be just a piece of cheap workforce, especially in a country where we don’t have any recognition. I’m totally aware that we all have to start at the bottom (don’t fool ourselves if you think you can start at the top) but there’s a big difference between working in the southern countries and the northern countries of Europe. Every day that goes by, Portugal sinks a little bit more into the hole we dug years and years ago (and no-one gives a damn about it, and I pretty sure that will dug an even bigger hole at the next elections, because people will commit the same mistakes), whereas in other countries, such as the Netherlands and Germany, they’re actually growing. This is a matter of seeing a good opportunity and going after it. Stuff like this doesn’t fall from the sky, only rain/snow does.

I don’t know if I’ll have internet access during this week, so I’m not sure if I’ll be around here. Just in case I won’t be able to come here, I’m leaving a few scheduled posts for the next two weeks. Let’s enjoy the last moments of our holidays!

FashionSkribo apresenta… “If I Stay”

Hoje é dia de mais uma sugestão cinematográfica. A partir deste post, esta rubrica vai voltar ao seu normal funcionamento, por assim dizer. Ou seja, cada sugestão é publicada no dia da sua estreia nos Estados Unidos, uma vez que esta corresponde à sua estreia mundial. Para além dos filmes de acção, o género dramático (se é que é assim que é designado) é também um dos meus favoritos. Eu descobri este filme através do tumblr e, depois, o seu trailer deixou-me bastante curiosa. E além do mais, eu sou fã do trabalho da Chloë Grace Moretz.

If I Stay_movie poster
Mia Hall sempre pensou que a decisão mais difícil que teria de tomar seria escolher entre seguir os seus sonhos musicais e ir para a Juilliard School ou seguir um caminho diferente de modo a poder estar com o amor da sua vida, Adam. Mas o que deveria ter sido uma viagem despreocupada em família mudou num instante, e agora a sua própria vida está em jogo. Apanhada entre a vida e a morte durante um dia revelador, Mia tem apenas uma decisão pendente, que irá não só decidir o seu futuro, como também o seu destino final. “If I Stay” é baseado no romance, de mesmo nome, da autoria de Gayle Forman.

Realizado por R. J. Cutler (“Nashville“, “American High“, “The War Room!” e “A Perfect Candidate“), “If I Stay” conta com a participação de Chloë Grace Moretz (“(500) Days of Summer“, “Kick-Ass“, “Let Me In“, “Hugo” e “Carrie“), Mireille Enos (“Big Love“, “The Killing“, “Gangster Squad“, “World War Z” e “Devil’s Knot“), Joshua Leonard (“The Blair Witch Project“, “Prom Night“, “Higher Ground” e “The Motel Life“), Stacy Keach (“Chicago Overcoat“, “Jerusalem Countdown“, “Planes” e “Nebraska“), Lauren Lee Smith (“The Last Kiss“, “Pathology“, “Helen” e “Girl Walks into a Bar“), Liana Liberato (“The Last Sin Eater“, “Trespass“, “Stuck in Love” e “Haunt“), Jamie Blackley (“London Boulevard“, “Snow White and the Huntsman“, “We Are the Freaks” e “The Fifth Estate“), Aliyah O’Brien (“Rookie Blue“, “Bates Motel“, “Indie Jonesing” e “The Woods“), Jacob Davies, entre outros.

Até ao momento, este filme tem recebido críticas mistas. O site rottentomatoes dá-lhe uma classificação de 40% com base em 55 críticas já publicadas.

If I Stay_movie picture
If I Stay” estreia hoje (22 Agosto) nos Estados Unidos da América. E tem estreia prevista para Portugal para o próximo dia 28 de Agosto.

As informações foram retiradas dos seguintes sites: movieweb.com, en.wikipedia.org, rottentomatoes.com e cinema.sapo.pt.

Quem é que tem curiosidade em ver este filme?

Desabafo #12

relax
O mês de Agosto está quase a chegar ao fim, o que significa que as minhas férias também estão quase a acabar. Se bem que, na realidade, nunca senti que estivesse propriamente de férias. Mesmo já com tudo terminado, a verdade é que o meu curso de licenciatura continuou-me a dar imensos problemas e preocupações, o que excluiu qualquer possibilidade de um verdadeiro descanso. Eu cada vez que penso mais nisto, mais tenho a certeza que nunca irei aconselhar alguém a ir para a Faculdade de Letras da Universidade de Lisboa. Nunca. Never. Jamais. Nem que as vacas tussam ou assim. É inacreditável a falta de organização e de profissionalismo que existe nesta faculdade. Cada vez que uma pessoa quer resolver um problema, por mais pequeno que seja, aparecem logo a seguir mais dois. Honestamente, não sei o que é que as pessoas da Secretaria/Serviços Educativos fazem durante o dia, mas trabalhar é que não é de certeza. E a parte gira é que as mulheres que lá trabalham têm uma má fama, mas uma má fama gigante que até é reconhecida pela Universidade toda. E isto já para não falar do nosso portal académico. O dia em que ele funcionar a 100% irá ser um milagre. Desde não funcionar como deve de ser durante a semana de matrículas (o que dificulta como é óbvio a inscrição nas cadeiras mais concorridas), até bloquear o acesso dos professores às pautas, o sistema informático tem problemas a toda a hora. Por causa deste mau funcionamento do sistema, por duas vezes, levou dias e dias para alguns dos meus professores conseguirem-nos dar as nossas notas. Acho que nem nos meus piores pesadelos, eu alguma vez pensei que fosse ficar tão farta desta faculdade, ao ponto de ter vontade de a ver pelos ares. Foram mais os problemas que arranjou, do que os bons momentos que proporcionou.

Enfim… Não era bem isto que eu queria escrever, mas ando com esta história entalada há meses e meses. Infelizmente estas não foram as férias com que eu estava a contar, mas espero solenemente que isto mude nas próximas 24h, porque realmente estou mesmo a precisar de descansar, e de encontrar qualquer coisa positiva que me alegre. Eu mencionei isto algures durante o início do ano, mas para quem não se lembra, eu tinha dito que não ia viajar este ano. No entanto, surgiu a oportunidade de o fazer, por assim dizer. E é basicamente isso que vai acontecer nos próximos dias. Não sei se vou conseguir ter acesso à internet, provavelmente não. E, por isso, vou deixar alguns posts agendados. Espero que vocês estejam a ter umas melhores férias.

Desabafo #11

erasmus
Ao longo dos meus três anos de Licenciatura pensei várias vezes na possibilidade de fazer Erasmus, o que nunca cheguei a fazer por dois motivos: um não vou discutir agora (por razões que daqui a uns dias virão a entender); e o outro é pelo facto de eu ter um curso muito peculiar, que não se assemelha com os que existem espalhados pela Europa. Eu sempre vi esta diferença como um grande “turn off” porque, se não houvesse maneira de eu ter equivalência às minhas cadeiras, eu teria de fazer quatro anos ao invés dos três. Nisto, pensei eu que até nem seria assim tão mau: fazia dois anos cá, um depois algures inserida no programa Erasmus (porque, pelo menos para mim, um semestre é pouquíssimo) e depois fazia o meu último ano cá. Honestamente, agora que penso nisto, ainda bem que me decidi por nunca fazer Erasmus. Primeiro, porque penso que tive sorte em ter os professores que tive nas cadeiras que fiz (ao longo apenas deste três anos, houve imensas trocas de professores), e o melhor era nem alterar muito isto. E segundo, porque quanto mais depressa tivesse o curso feito, mais depressa podia partir para outra. Agora para quem não tem estes “problemas” ou entraves, penso que é uma boa oportunidade.

Alguém fez ou está a pensar em fazer Erasmus?

Especial Regresso às Aulas #2014

Este ano o Especial Regresso às Aulas começa um pouco mais cedo. Basicamente, dentro de um mês as aulas irão começar, tanto para quem ainda está no ensino obrigatório, como também para quem já está no Ensino Superior. Pelo contrário, para mim, as aulas começam exactamente daqui a três semanas (nem acredito que falta tão pouco tempo). Este já é o terceiro ano em que faço esta rubrica, pelo que penso que já abordei os principais temas, nos anos anteriores. Por este motivo, vou deixar-vos aqui os links para os posts que já foram publicados.

Ensino Secundário Geral: 1
Ensino Secundário Dicas: 1 / 2 / 3

Ensino Superior Geral: 1
Ensino Superior Dicas: 1 / 2 / 3 / 4

Métodos de estudo: 1
Testes de consulta: 1
Relatório de seminário: 1
Apontamentos: 1

Educação Física: 1
Cuidados de saúde: 1

Material escolar: 1 / 2
Organização em tempo de aulas: 1 / 2

Espero que estes posts vos sejam úteis. Há que ter em atenção que alguns destes posts foram feitos em 2012 e 2013. O que está escrito não se altera, apenas alguns pormenores. E quando falo nestes pormenores estou-me a referir aos posts que têm links para produtos específicos.

Entretanto, se tiverem alguma sugestão, é só deixarem nos comentários.