Random | Master thesis

tese 1 tese 2
Escrita! Revista! Entregue! Enviada! E isto tudo cinco diz antes do prazo final que é amanhã (dia 15). 150 páginas, mais de 36.000 palavras, 33 imagens, 42 tabelas e muitas dores de cabeça que descrevem o que foram os meus últimos três meses na faculdade, altura em que basicamente escrevi a grande maioria desta tese.

A parte mais gira (e que lá no fundo até que não tem assim tanta piada) de todo o processo de escrita da nossas teses é que a primeira coisa que nos souberam dizer, incluindo mesmo os nossos coordenadores, foi que quase (e sublinhe-se o quase) nunca ninguém entrega as suas teses a tempo. São raras as pessoas que “respeitam” este prazo de Junho e que não o prolongam por mais um ou dois meses, ou até mesmo por mais um semestre. Nesse momento, no final do ano passado ou no início deste, pensei que estava tramada. Realmente nunca gostei da perspectiva de só ter um ano para fazer uma tese de Mestrado (cujos limites andam entre as 100 páginas ou as 20.000-30.000 palavras, dependendo do sistema aplicado), e o receio foi sempre de não vir a ter tempo necessário para a completar neste prazo. Não haveria problemas em prolongar o prazo, é certo, mas o problema é que isso significava mais um semestre a pagar propinas (que ainda se faria bem) e mais um semestre a pagar renda (o que de todo não iria conseguir, só se começasse a chover dinheiro). No entanto, a verdade é que toda esta lengalenga sobre o prazo de Junho é absolutamente, peço desculpa pela expressão, bollocks.

É que não faz sentido de todo. É certo que temos no mínimo entre duas a três cadeiras por bloco, o que significa, entre quatro a seis cadeiras por semestre. Para um ano de licenciatura é absolutamente normal, mas para um Mestrado é um dor de cabeça porque temos de conjugar isto tudo com tempo para investigação e a escrita da nossa tese. Ora bem, a chave está claro na organização do nosso tempo. Há que saber dar prioridade às coisas na altura certa e aproveitar que o último bloco (no segundo semestre) está normalmente livre de cadeiras. Por exemplo, eu optei por parar de trabalhar na minha tese durante o mês de Marco para poder concentrar-me a 100% nas cadeiras que tinha para fazer, que nos requeriam essays todas as semanas, fora os projectos finais. Mais vale deixar uma tarefa de parte e completar todas as outras a tempo e horas (e como deve de ser), do que andar a fazer tudo ao mesmo tempo e a meio-gás. É uma questão de se ser organizado e esperto, minha gente.

Tenho casos de colegas que adiaram os prazos mas cujas razões mais do que se justificam. Alguns precisam de estágios de Verão para completarem as suas teses, outros arranjaram oportunidades de emprego nestes meses, outros tiveram problemas com a faculdade (que vamos admitir é o pão nosso de cada dia aqui). Mas agora não me venham dizer que não há tempo, minha gente. Andámos o ano todo com cadeiras, com dezenas de essays e trabalhos para entregar, com problemas aqui e ali, porque nesta faculdade ninguém se livra deles, mas nós entregamos a tese a tempo e horas. [com o nós quero dizer eu e mais três raparigas, que até este momento somos das poucas ou únicas pessoas que já entregaram as suas teses]

Engraçado engraçado foi quando fomos entregar uma das cópias à faculdade. Se a mulher já ficou surpreendida por ver uma de nós a entregar a tese, naquela altura cinco dias antes do prazo, mais surpreendida ficou ela quando nos viu às três (a quarta rapariga entre a sua tese depois de nós). Mais engraçado é ver que quem adia mais o prazo são os alunos holandeses, que conhecendo bem o sistema, deviam saber como dar volta a ele, e já para não dizer que podiam muito bem continuar com projectos desde a licenciatura, o que lhes facilitaria em muito a vida. Honestamente, a visão que eles têm de notas, prazos e por aí adiante é bastante decepcionante.

Ao fim de nove meses posso dizer que tenho o meu Mestrado está quase completado, isto porque ainda me falta fazer o estágio no Verão – e vá, desta vez posso mesmo chamar estágio à escavação. E basicamente também é ao fim destes nove meses que acaba mais uma etapa da minha vida académica.

6 thoughts on “Random | Master thesis

  1. Danny says:

    muitos parabéns! imagino que não tenha sido fácil, mesmo com tanta organização. eu provavelmente ia adiar, sou péssima com prazos e com organização, atrapalho-me sempre toda. não fiz mestrado também por isso, já me conheço!

    Like

  2. alexis says:

    Em primeiro lugar parabéns😀 Espero que daqui para a frente corra tudo como desejas!
    E depois respondendo ao teu comentário, eu gosto do tempo assim para estudar, quando está muito calor fico com muito sono e depois devo ter uma costela espanhola porque uma siesta prolongada sabe-me tão bem!!

    Like

Say what's on your mind

Fill in your details below or click an icon to log in:

WordPress.com Logo

You are commenting using your WordPress.com account. Log Out / Change )

Twitter picture

You are commenting using your Twitter account. Log Out / Change )

Facebook photo

You are commenting using your Facebook account. Log Out / Change )

Google+ photo

You are commenting using your Google+ account. Log Out / Change )

Connecting to %s