Random | Evolution of academic interests

human evolution
1. No sétimo ano, eu não era propriamente fã do Paleolítico. Quer dizer, nesta altura era só uma leve achega sobre as caçadores-recolectores, mas o sentido é o mesmo. No entanto, não deixava de adorar as minhas aulas de História.

2. No Ensino Preparatório, o meu interesse andava basicamente à volta do Egipto. Mas verdade seja dita, este sempre foi um dos períodos de maior interesse para o público em geral, por isso até nem estou surpreendida que me interessasse. No entanto, nunca fui muito fã de romanos.

3. Quando entrei no Secundário, o meu interesse foi descendo na escala cronológica da nossa História, e o meu interesse passou para o Neolítico. Muito disto deveu-se ao Professor Mike Parker Pearson (actualmente a trabalhar na University College London), e ao seu Riverside Project em Stonehenge. Dizer que era fascinada por este monumento é pouco.

4. Com a ida para a Universidade (em Lisboa), o meu interesse pelo Neolítico desapareceu, muito devido aos professores que leccionavam este período. E neste sentido, tudo o que fosse do Neolítico e mais recente deixou de ter interesse para mim.

5. Devido às minhas aulas de Paleolítico e Evolução do Homem, nomeadamente devido ao quão cativante era o professor que leccionava estas cadeiras, o meu interesse voltou ainda mais para trás na nossa História, e aterrei no Paleolítico. E é exactamente neste período que me tenho focado e é com base neste interesse que vim para os Países Baixos.

6. Mas agora que aqui estou, o gosto pelo o Neolítico e a Idade do Bronze voltou a emergir à superfície, muito devido aos professores que leccionam estas cadeiras.

152
O meu ponto nisto tudo é que estou um pouco confusa, neste momento. É certo que o Paleolítico continua a ser o TAL, mas não deixo de estar de novo interessada no Neolítico e até mesmo na Idade do Bronze (devo dizer que também gostei bastante da cadeira que fiz neste período enquanto ainda estava em Portugal).

O meu problema com tudo isto é que eu não sei bem o que originou todos estes interesses. É interesse por ele próprio, porque realmente no fundo gosto de determinado período? Ou este interesse é demasiado influenciado pelos professores que leccionam cadeiras nestes períodos? Se for o último caso, quão válidos são afinal estes interesses? E qual deles é que é realmente o TAL?

2 thoughts on “Random | Evolution of academic interests

  1. alexis says:

    Os professores são mesmo importantes para nós gostarmos ou não de uma certa matéria, o professor certo pode transformar a matéria mais chata numa coisa interessante!

    Like

Say what's on your mind

Fill in your details below or click an icon to log in:

WordPress.com Logo

You are commenting using your WordPress.com account. Log Out / Change )

Twitter picture

You are commenting using your Twitter account. Log Out / Change )

Facebook photo

You are commenting using your Facebook account. Log Out / Change )

Google+ photo

You are commenting using your Google+ account. Log Out / Change )

Connecting to %s